Você já deve ter reparado que, assim como há uma grande variedade de vinhos, também existem inúmeros tipos de taças. Seria um fator estético? Na verdade, é uma questão científica. Acredite, a escolha da taça certa é tão importante quanto a escolha do vinho. Mas, afinal, como escolher a taça de vinho certa para beber?

Como escolher a taça certa para beber vinho?

Características da taça de vinho ideal

A escolha da taça ideal tem como objetivo realçar as principais características de cada vinho, como a cor, o aroma e o sabor.

As taças de vinho costumam ter um bojo grande, isto é, aquele formato arredondado, com o objetivo de liberar aromas e prendê-los dentro do vidro. Assim você entende, por exemplo, o porquê daquele gesto dos enólogos em girar a taça de vinho. Aquela degustação antes de beber é justamente para apreciar o aroma, mas também serve para arejar o vinho e até liberar odores secundários.

Pode parecer óbvio, mas evite qualquer taça que não seja completamente transparente. A razão disso é exatamente pela necessidade de observar as tonalidades que indicam o tipo de uva e a idade da bebida, o que faz parte da degustação do vinho em si.

É importante que a taça de vinho ideal também tenha uma haste um pouco mais longa. Ela não está lá à toa. Afinal, segurar uma taça de vinho pelo bojo vai aquecer o conteúdo e também deixa a marca dos seus dedos, o que não é nada legal.

A importância do material da taça de vinho não acaba por aí. O cristal é tido como o material preferido para a apreciação do vinho, mas também existem opções como o cristal de vidro e o próprio vidro. Uma taça de cristal possui até 24% de chumbo, característica que garante maior conservação da temperatura da bebida e uma porosidade que favorece a concentração de aromas.

Tipos de taças de vinho

Então é preciso comprar uma taça pra cada vinho? Há quem diga que sim, mas a verdade é que existem tipos básicos que atendem uma grande diversidade de vinhos.

Para vinhos tintos, existem dois tipos “padrão” de recipientes: Borgonha e Bordeaux. A taça Borgonha possui um bojo bem grande e arredondado, ideal para os vinhos tintos, que possuem aromas muito intensos. A taça Bordeaux tem uma borda mais fechada, evitando a dispersão de aromas. É a combinação perfeita para aquele Rutini Cabernet Malbec, não acha?

Para vinhos brancos, o ideal é uma taça menor, pois este tipo precisa ser consumido em temperaturas mais baixas, reduzindo o contato com o ambiente. Os tipos mais comuns são as taças de Chardonnay (parecida com a Borgonha pelo bojo grande) e Sauvignon Blanc.

Vinhos rosés também demandam taças pequenas, porém com o bojo mais largo. Já os vinhos doces, como são fortificados, demandam um bojo pequeno, já que as pessoas consomem em menor quantidade.

Para espumantes e champagnes, a escolha é bem mais fácil: é aquela taça fina que conhecemos bem, também chamada de flauta.

E já que estamos na primavera, um vinho rosé cai muito bem, não é mesmo?
Conheça os vinhos rosé da Ville du Vin agora mesmo.

Categorias: Curiosidades

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Curiosidades

Vinhos para comprar de presente sem errar

Escolher presentes nunca é uma tarefa fácil. Afinal, devemos levar em consideração diversas questões na hora da compra para agradar a pessoa e não fazer feio: gosto pessoal, praticidade, ocasião, entre outras. Nesse momento, é Leia mais…

Curiosidades

Dicas para reconhecer um bom vinho

A principal dúvida do consumidor de vinhos é como saber se o vinho que ele está tomando é bom ou ruim. Simplesmente precisa agradar o paladar? Mesmo que a resposta pareça simples, há outros fatores Leia mais…

Curiosidades

Vinificação: Entendendo o processo

O vinho que chega até o consumidor passa por um processo complexo de vinificação, onde cada passo faz toda a diferença na sua qualidade e sabor. Considerada uma arte, seus processos básicos são milenares, que Leia mais…